Pular para o conteúdo principal

Mundo pitoresco – As melhores viagens

Nada nos tira a certeza de que vivemos num mundo efusivamente pitoresco. Se fosse escolher para onde viajar no próximo fim de semana, por exemplo, não faria uma boa opção, a não ser pela decisão de fazê-la em tempo hábil para organizar tudo e todos dentro de um cubículo onde pudéssemos, com a impossibilidade de qualquer distração, arrumar as malas, antes de pensar se fizemos uma boa escolha. Mas se fosse escolher de forma hipotética ou até mesmo compreensível, no ponto de vista de alguém com a vista cansada, seria a melhor opção. E acabou sendo, quando comprei as passagens para visitar o Xisto de Burgess, local paleontologicamente essencial ao estudo da explosão câmbrica (ou cambriana, como alguns ciento-paleonto-historiadores preferem corrigir com o dedo indicador em riste).

Situado na Laurência, antigo continente de latitudes equatoriais originado da junção proposital entre placas norte-americanas e européias, é dessa localidade que conhecemos os queridos animais filtradores, odontogriphus (otorrinozanclus para os xiitas), braquiópodes, detritívoros, intuitípodes (esses, enigmáticos até hoje), anelídeos, necrófagos, mergulhões hadais macrofaunísticos (de origem e destino duvidosos), suspensívoros, equinodermes, eqüidistantes (não comprovados) e várias cianobactérias bentônicas, com destaque para a zona centro-leste batipelágica. Vale a pena uma visita, sem compromisso, ao aquário natural de priapulídeos e ao museu com minúsculos fósseis não autorizados de Ottoia, até porque se você procurar na Internet não vai encontrar nada.

Aí entra a questão, tantas vezes em pauta nas reuniões de associações e institutos que faço parte ou não: Aos que pretendem conhecer localidades como essa (não existentes via Google Earth, por exemplo), como despregar as nádegas amassadas da cadeira e abandonar seus “i-petrechos” numa aventura real?

Sem resposta e cansado de mais uma tendenciosa discussão sobre a verossimilhança física versus crença digital, decidi fazer outra boa escolha. Dessa vez fora desse mundo pitoresco e junto com um time de malucos da MacBurtney University and Lodging, rumo ao espaço Calabi-Yau, uma dimensão proporcional recurvada, não menos pitoresca e com condição de p-brana (variedade admitida em n0 e formato holomórfico global jamais nulo, segundo estudos ciento-astro-físico-quânticos). Após uma semana de preparação, tomando gororoba e tocando violão, me confundi com as cordas p4, r5, p11, r11 e f19, de afinações distintas e reconfortantes. Foi aí que entendi porque esse mundo tão pitoresco ainda serve de úbere dessa vaca tão endoplasmática que chamamos de universo...

Comentários

Reinaldo Castro disse…
Bela metáfora!
Alex disse…
Gostei do texto embora ache que uma pessoa que não conheça física quântica nem paleontologia vai achar alucinação, o que pode até ser bom, alias, brilha o nosense de qualquer forma. Bacana foram as inserções criativas nas espécies e a foto de um elefante servindo vinho quando a gente espera uma vaca ou um fossil, nebulosa, kkk, abs.

Postagens mais visitadas na semana passada

Mundo Pitoresco - Nada Mudou: Capítulo 3

FUGINDO DA POLÊMICA, paramos bruscamente em uma iluminada região situada na extremidade sul. A montanhosa Terebaind tornou-se a principal produtora de energia hidrelétrica originaria de pequenas nascentes e volumosos rios de quedas d’águas rápidas e intensas do mundo. Apesar das condições ambientais um tanto quanto nebulosas, a pesca era abundante. As numerosas aldeias de pescadores que se situavam nas pequenas, porém extensas costas marítimas eram mais populosas que a própria capital. Pescadores de origem antiga, com evidentes traços alpinos típicos da região sul antiga, eram os alicerces da economia e principais administradores da principal fonte de energia: O petróleo. Na área industrial destacaram-se na construção naval a serviço de Triggerit, ilha com a maior frota mercante do mundo. A agricultura era fraca e prejudicava a pecuária. Tudo que cultivavam era dado como alimento ao gado, que pastava na imensa reserva florestal local (talvez a maior do mundo, anos depois conhecida pel…

Três Textículos

“O quadrado do período de translação de um planeta é diretamente proporcional ao cubo do semieixo maior de sua órbita”.
(Terceira lei do movimento planetário definida por Johannes Kepler no ínicio do século XVII)

“Há conhecimentos conhecidos. São coisas que sabemos que sabemos Há desconhecimentos conhecidos. Ou seja, coisas que sabemos que não sabemos. Mas também há desconhecimentos desconhecidos. São as coisas que não sabemos que não sabemos”.
(Donald Rumsfeld)

“Mesmo os animais próximos da classe das plantas parecem ter os movimentos mais inquietos. A larva de verão (das larvas e charcos) faz um longo movimento sinuoso; o górdio raramente fica imóvel. Quem quiser ver um movimento muito anômalo, poderá observá-lo nos espiralados e enfadonhos meneios da larva do mosquito”.
  (Sir Thomas Browne)

Citações Históricas e grandes dicas

O Fantástico livro de receitas culinárias inteligentes e práticas do novo milênio, inspirado nos antigos e perdidos (hoje achados) manuscritos escandinavos.
(El libro práctico de la prescripción de los culinárias del milênio nuevo. Inhalado en los manuscritos escandinavos perdidos, hoy hallados)
PASTAS ESPECIAIS(CARPETAS ESPECIALES)
À Tomarnne Carmatte(A las salsas diversas) Pimentão verde, tomate, cebola e cheiro verde. Yoi Lámen sabor carne e Yoi Lámen sabor tomate. Azeite de oliva, molho de soja, orégano e Ketchup.
Picada del carnne à Tomarnne Carmatte(Carne perforada a las salsas diversas) Carne moída, pimentão verde, tomate, cebola e cheiro verde. Yoi Lámen sabor carne e Yoi Lámen sabor tomate. Azeite de oliva, molho de soja, orégano e Ketchup.
Dal pollo à Tomarnne Carmatte(Huevos a las salsas diversas) Pimentão verde, tomate, cebola e cheiro verde. Yoi Lámen sabor carne e Yoi Lámen sabor tomate. Azeite de oliva, molho de soja, orégano e Ketchup. Farinha da Bahia, ovos mexidos.

Mundo Pitoresco - Nada Mudou: Capítulo 2

COMO ELO ENTRE UMA DESCONHECIDA PENÍNSULA CENTRAL E A LESTE, Sparstfein, não só pelos milhares de lagos que comportavam gigantescas geleiras aplainadas pela ação milenar dos ventos sudeste ao longo da costa setentrional, mas também pelos canais litorâneos, tinha a temperatura mais amena nos verões. No passado era dominada pela burguesia local e enfrentara momentos turbulentos de guerra e fúria. Os mais humildes, carentes por um regime justo, opuseram-se firmemente à tentativa burguesa de domínio, o que ocasionou sua independência, separando-se da recém-nascida União do Leste. Mas o que sustenta o país até hoje é o turismo. Os lagos recebem anualmente cerca de quarenta bilhões de pessoas para passeios e escaladas nas geleiras. Essa gélida região contemplou a figura de Demétrius, renomado inventor e ícone da revolução científica local. Não iremos enfatizar nenhum dos seus trabalhos por motivos judiciais, todavia podemos citar alguns outros figurões do ramo, de menos expressão, talvez, d…