19 de junho de 2011

Aconteceu em Neander Town - Aldebaran

Ainda fedelho, Aldebaran deixou um pequeno condado britânico após um seqüestro mal planejado, o que acabou lhe proporcionando uma viagem de quatorze dias e doze noites lunares. Descamisado, com apenas duas peças de dominó e uma de roupa curta, navegou como refém em embarcação corsária, de destino não especificado.

Pouco tempo depois, aproximadamente algumas milhas náuticas, o barco atracou por motivos desconhecidos. Aldebaran sofria com a suspeita de cólera e naquela altura a febre já estava alta a ponto de alguns dos marujos fanfarrões lhe oferecerem chá de folhas secas da macedônia, uma crendice local recomendada para casos extremos de duodeno preguiçoso. Não deu outra...

- Convulsion! – Gritou um deles para os demais que saiam rumo à doca principal, onde um Buffet seria servido, sem motivo definido. Após confusão de idioma e traduções errôneas, o aviso de uma suposta convulsão sofrida por Aldebaran foi inadequado e obtuso, o que resultou no cancelamento do desembarque da tripulação. Tanto pelo ocorrido quanto pelo não ocorrido, eles tiveram que zarpar.

Com o regresso e ainda contemplando ao longe os setecentos e trinta e nova quilômetros de montanhas rochosas na região de Birkmand, o pequeno Aldebaran acabou melhorando seu quadro clínico e foi respeitado por isso, tornando-se membro da equipe náutica. Meses depois foi liberado e se viu comercializando pães (em bisnaga) com groselha em lanchonetes intinerantes da época. Foi entregador de flores, florista, ex-florista, e coroinha eclético...

Anos se passaram e Aldebaran largou a vida no tabernáculo sagrado por causa de uma apendicite grave, não operável. Após forte alucinação febril teve uma lembrança do passado supostamente colérico que tivera e foi categórico em procurar um médico, que lhe receitou cápsulas com o extrato defumado de folhas secas da macedônia.

2 comentários:

Neto disse...

Essa neander town está repleta de causos, personagens típicos e milhões de detalhes absurdos. Se você visitar o interior do Ceará vai se assustar com tamanho arsenal de estórias reais que poderiam virar ficção. Viva Papricantis!

Alex disse...

No interior da Bulgária também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...