1 de novembro de 2010

Mundo pitoresco – Um Brasil de conflitos

Os conflitos mais significativos, essenciais e reflexivos da história do Brasil não registrados nos livros escolares:

Guerra dos Farrapos, 1835-1845 – Rio Grande do Sul. O que dizer de uma guerra que durou 10 anos? Nada. Um pessoal que se massacrou por uma década e ainda sobreviveu para contar a história, mesmo que caindo aos pedaços, aos farrapos, farroupilhas...

No Pará, nesse mesmo período ocorreu a Cabanagem, a primeira revolta com o pessoal do MST, que invadiu as cabanas de camping dos turistas mestiços da época.

Em paralelo aconteceu na Bahia a Sabinada, porém não sabemos dos detalhes... Aliás, diferentemente, o bravo historiador Raimundo Cosme Alves Martinesco foi um profundo conhecedor desses conflitos e relatou com detalhes tais acontecimentos. Acrescentou ainda que simultaneamente, no Maranhão e no Piauí, várias fabricantes de Balaios artesanais entraram em colapso comercial, dando início a Balaiada.

Confirmou também, nessa mesma época, a Revolta Praieira, revolução separatista ocorrida em Pernambuco pelos surfistas que não concordavam com a presença dos banhistas mal educados que pegavam jacaré na beira-mar. Eles alegavam que já era difícil escapar dos tubarões...

A maior luta armada da América do Sul, a Guerra do Paraguai foi manchada não pelo sangue, típico de embates dessa categoria, mas pelo grande número de “batidas de catolé”, ou seja, armamento emperrado e com qualidade questionável. Portanto, não é significativo o comentário desse conflito trágico.

Revolta do Quebra-Quilos, veio na sequência. Ocorrida no nordeste entre 1874 e 1875, foi uma rebelião popular entre gordinhos em prol de uma perda “em massa” de massa. Pesos e medidas do comércio foram destruídos e feiras foram saqueadas. A partir daí, as dietas à base de frutas foram se intensificando...

Guerra de Canudos, 1896-1897 – Bahia. Sem dúvida a maior guerra em lanchonetes já acontecida no planeta, quiçá na galáxia, para não dizer no universo. Durante 1 ano, jovens rebeldes desistiram do Carnaval (seguindo o conselho de um tal de Toninho) e travaram essa disputa insana, que alterou para sempre o costume local quanto ao uso do canudo em refrigerantes. Foi após essa guerra que os copos plásticos foram inventados, mas só foram comercializados a partir do início do século seguinte...

Revolta da Vacina, 1903 – Rio de Janeiro. Foi uma revolta popular que marcou época pela insustentável situação do Ministério da Saúde que bagunçou o calendário de vacinação infantil e senil, aumentando o número de internação e mortes, não por conta das dosagens trocadas, mas pelas lutas agressivas nas ruas, bailes e repartições.

Revolta da Chibata, 1910 – Rio de Janeiro. Não há muito que falar dessa revolta. Em resumo: Os Marinheiros açoitaram todos que chegaram próximos ao navio principal da frota. Os motivos, segundo relatos do Exército, foram os turistas intrusos que se aproximavam da embarcação (que recebia polimento diário no casco e na proa) com o intuito de fotografar ou fazer estripulias nas visitações internas. Ao sair deixavam, além de insultos, resíduos sólidos, líquidos e gasosos, o que gerava revolta nos marujos da limpeza. A Aeronáutica sempre foi omissa sobre o assunto e trabalha até hoje contra o Bullying entre pilotos.

2 comentários:

Fábio G. Silva disse...

kkkk, tem umas que nunca ouvi falar e não sei se você inventou mas a gozação foi pertinente. O importante é que saio mais informado daqui.

Vera disse...

A Dilma deveria censurar esse blog...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...